3 de jun de 2016

Conscientização e relaxamento


Observe suas tensões... Por que você está tenso? Sua identificação com todos os tipos de pensamentos e receios – morte, falência, bolsa de valores, o dólar subindo – essas são suas tensões e também afetam seu corpo. Seu corpo também se torna tenso, porque corpo e mente não são duas entidades separadas. Corpo-mente é um sistema único, e, portanto, quando a mente se torna tensa, o corpo também se torna tenso e enrijece.
Conscientização e relaxamento são duas faces da mesma moeda. Você não consegue separar um estado pleno de consciência de um estado de relaxamento. Quando você se tornar consciente, você entrará em um estado de relaxamento.
Podemos dizer que o despertar da consciência o afasta da mente e das identificações da mente e, com naturalidade, o corpo começa a relaxar. Você não está mais ligado e as tensões não podem existir por causa da luz da consciência.
Você também pode iniciar esse processo da outra ponta. Simplesmente relaxe... Deixe as tensões diminuírem... E a medida que relaxar, ficará surpreso com o despertar da consciência em você. Mas fique atento, pois mesmo o esforço para relaxar cria certa tensão.
Por isso, no Oriente nunca começamos a meditação pelo relaxamento; a meditação começa com a conscientização. Por isso, o relaxamento surge espontaneamente, pois caso o relaxamento tenha que ser induzido, haverá certa tensão. O relaxamento deve aparecer por si próprio, só então será relaxamento puro.

Osho diz:
Você não sabe o quanto está reprimido, e isso é a causa de toda tensão.

Portanto, há dois tipos de tensão: as tensões do corpo e as tensões da mente. Ambas têm de ser liberadas antes de você poder começar o relaxamento, o qual o conduzirá a conscientização.
Perceba que você está usando sua consciência sem ter percepção dela, mas só com coisas externas. É a mesma consciência que precisa ser usada para o trânsito interno. Quando você fecha os olhos há um trânsito de pensamentos, emoções, sonhos, imaginações... Todos os tipos de coisas começam a aparecer.
O que você tem feito no mundo exterior, faça exatamente igual com o mundo interior e você se tornará uma testemunha. E uma vez experimentada, a alegria de ser uma testemunha é tão grande, tão transcendente, que você tentará ficar cada vez mais consciente, mais presente em seu mundo interior.
Não se trata de um posicionamento, nem de ir a um templo ou a uma igreja. Sentado em qualquer lugar, no ônibus, no trem, quando você não tem nada para fazer, simplesmente feche os olhos. Isso evitará que sua vista fique cansada de olhar o exterior e lhe dará tempo suficiente para observar a si mesmo. Esses momentos se tornarão momentos das mais belas experiências.
E, lentamente, à medida que a consciência aumenta, toda a sua personalidade começa a mudar. Da inconsciência para a consciência é o maior salto quantitativo.


Então, simplesmente aprenda a estar consciente em todas as situações. Considere importante usar toda situação para desenvolver a conscientização

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.