15 de nov de 2012

Técnicas para penetrar o interior



Relaxe seu corpo e respire relaxadamente.
Perceba a sua dificuldade de sair da superfície e mergulhar em seu centro. Perceba a sua dificuldade de aquietar a mente - de parar os movimentos dos sonhos e desejos – e penetrar fundo em seu interior.
O homem é como se fosse um círculo sem centro. Sua vida é superficial; sua vida é somente uma circunferência. Você vive do lado de fora, nunca vive dentro. Você não pode, a menos que um centro seja encontrado.
Assim, você não pode viver dentro. Você está sem centro, tem apenas o lado externo. É por isso que nós continuamos a falar sobre o interior, sobre como ir para dentro, como conhecer a si mesmo, como penetrar internamente, mas essas palavras não carregam nenhum significado autêntico.
Você conhece o significado das palavras, mas você nunca esteve dentro.
Até mesmo quando você está sozinho, em sua mente, você é uma multidão. Quando não há ninguém do lado de fora, ainda assim, você não está dentro. Você continua pensando nos outros; você continua se movendo para fora.
Até mesmo quando dorme, você está sonhando com os outros, você não está dentro. Somente em um sono profundo, quando não há sonho, você está dentro, mas, então, você fica inconsciente.
Lembre-se desse fato: quando você está consciente, você nunca está dentro e, quando você está dentro, em sono profundo, você fica inconsciente.
Assim, toda a sua consciência consiste no exterior. E sempre que nós falamos sobre ir para dentro, as palavras são entendidas, mas o significado não – porque o significado vem através da experiência.
É isso que eu quero dizer quando digo que você é um círculo sem um centro – uma circunferência somente. O centro está presente, mas você entra nele somente quando está inconsciente. Caso contrário, quando você está consciente, você se move para fora e, por causa disso, sua vida nunca é intensa; ela não pode ser. Ela é apenas morna.
Você está vivendo no pico mínimo, não no máximo.
Mas a vida não pode ser conhecida na circunferência. Na circunferência, somente uma vida morna é possível. A vida pode ser conhecida apenas no centro.
Neste exato momento, há apenas vazio e, o tempo todo foi assim no passado – simplesmente vazio. Você está apenas esperando pelo futuro, esperando que alguma coisa aconteça algum dia, apenas mantendo a esperança.
Então, todos os momentos são perdidos. Não aconteceu no passado; assim, não acontecerá no futuro tampouco. Pode acontecer somente neste momento, mas, então, você precisará de uma intensidade, de uma intensidade penetrante. Então, você precisará estar enraizado no centro; então, a periferia não servirá – então, você terá que encontrar o seu momento.
Realmente, nunca pensamos sobre o que somos e, o que quer que pensemos, é pura encenação.
Ouvi contar...
Um homem chegou para o Osho e disse: “Estou amando alguém e quero me casar com ela”. Osho apenas olhou nos seus olhos profundamente por alguns minutos, sem dizer nada. O homem se tornou inquieto e disse: “Por que você está olhando para mim? Eu me sinto desconfortável!”. Osho continuou apenas olhando. O homem disse: “Você pensa que meu amor é falso?”. Osho não disse nada, apenas continuou olhando. E o homem disse: “Por que você sente que esse casamento não será bom?” Osho continuou sem dizer uma única palavra e o homem continuou: “Eu não tinha realmente pensado muito sobre isso e é por isso que eu vim até você. Realmente, eu não sei se estou amando, ou não.”
Perceba... Você não tem certeza, você não pode ter certeza de nada; nem do seu amor, nem do seu ódio, nem das suas amizades. Não há nada de que você possa estar certo, porque você não tem nenhum centro. Sem um centro, não há nenhuma certeza. Todos os seus sentimentos de certeza são falsos e momentâneos.
Num certo momento, você sentirá que tem certeza, mas, no momento seguinte, a certeza terá ido embora, porque, em cada momento, você tem um centro diferente.
George Gurdjieff costumava dizer que o homem é uma multidão. A personalidade é apenas uma fraude, porque você não é uma pessoa, você é muitas pessoas.
A cada momento, a cada situação, você tem certeza e você nunca se torna consciente de que você é apenas um fluxo – muitas ondas sem nenhum centro.
Então, no final, você sentirá que a vida foi apenas um desperdício. Ela está fadada a ser. Há apenas desperdício, apenas um vagar – sem propósito, sem sentido.
Tantra, Yoga, religião... A questão básica deles é a de como descobrir o centro primeiramente, a de como ser antes um indivíduo. Eles estão interessados em como encontrar o centro que persista em todas as situações.
Então, enquanto a vida continua se movendo fora, enquanto o fluxo de vida continua e continua, o centro persiste dentro. Então, você permanece um – enraizado, centrado.
Nossas próximas técnicas serão para achar o centro. O centro já existe, porque não há possibilidade de se ser um círculo sem um centro. O círculo pode existir somente com um centro, assim o centro está apenas esquecido.
Ele existe, mas nós não estamos conscientes dele. Ele está presente, mas nós não sabemos como olhar para ele. Nós não sabemos como focar a consciência nele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.