5 de out de 2011

Somente é seu o que você experiencia

Lembre-se disso: somente é seu o que você experiencia. Você sabe somente aquilo que você sabe.
Ou seja, acredite e jamais encontrará, e tudo que você encontrar nada mais será do que a projeção de sua própria crença – ela não será a verdade.
Perceba... O que a verdade tem a ver com o seu acreditar?
Então duvide, e duvide totalmente, pois a dúvida é um processo de limpeza. Ela elimina tudo o que sobrou de sua mente.
A dúvida o torna novamente inocente, novamente a criança que foi destruída pelos pais, sacerdotes e professores. Você precisa descobrir essa criança novamente. Você precisa começar desse ponto.
Este é o maior milagre: estar em harmonia com a natureza, totalmente em harmonia com a natureza.
Quando é manhã, você está com ela; quando é noite você está com ela. Quando é prazer, você está com ela; quando é dor, você está com ela.
Nem por um único momento, em nenhum ponto você diverge dela.
Este total acordo, este absoluto acordo, cria a pessoa religiosa.
A palavra “religião” deve ser compreendida: ela quer dizer juntar as partes, de tal modo que não mais sejam partes, mas se tornem inteiras – cada parte se torna o todo, no estado de união.
Cada parte, separada, é morta.
E isso nada tem a ver com Deus ou o diabo.
E da maneira que as religiões funcionam, muda toda a qualidade, sua própria estrutura.
O conceito de Deus em todas as antigas religiões nada mais é do que oriundo do medo, um consolo... Fora disso não existe validade, evidência ou prova da existência de Deus.
As pessoas que acreditam em Deus são na verdade pessoas incapazes de confiar nelas próprias. Elas precisam de uma figura paterna, um paizão.
Mas ninguém pode resgatá-lo – toda essa idéia está errada.
Você criou sua escravidão; como alguém pode resgatá-lo?
Jogue fora sua escravidão e seja livre.
Você adora suas correntes e deseja que alguém o salve. Você está pedindo um absurdo.
Você é a causa de suas infelicidades e sofrimentos e deseja que alguém o resgate desse auto aprisionamento.
E você continuará a semear as mesmas sementes, sendo persistentemente a mesma velha pessoa, aguardando as mesmas causas.
Então perceba... Quem pode salvá-lo? E por que alguém faria isso?
Nenhum recanto da existência ou de nosso próprio ser deve permanecer desconhecido - na escuridão.
Devemos trazer luz a todos os lugares.
E a menos que isso aconteça você será infeliz, angustiado. Suas crenças não irão ajudar, sua fé não irá ajudar.
Quando a luz está presente, a escuridão desaparece. Não se trata da escuridão escapar; ela é somente ausência de luz.
O ego é exatamente como a escuridão; ele não tem existência própria. Ele é somente ausência de consciência.
Assim, não digo para abandonar o ego, digo para observá-lo.
Fique atento, observe-o e você o encontrará em tantos níveis que ficará surpreso.
Nietzsche diz: “Antes que você possa alcançar o topo de uma árvore e compreender as flores lá florescendo, você precisará penetrar fundo nas raízes, pois ali repousa o segredo. E quanto mais profundas as raízes, mais alta a árvores”.
Assim, quanto maior o seu anseio pela compreensão, pela consciência cósmica – pois esse é o supremo lótus, o paraíso do lótus -, então mais fundo você deve ir às mais profundas raízes, no mais escuro subsolo.
E o caminho é apenas um. Chame-o meditação, consciência, vigilância – dá tudo no mesmo: você se torna mais alerta, primeiro a respeito de sua mente consciente, do que se passa em sua mente consciente, do ego que se passa em sua mente consciente...
E essa é uma bela experiência. É realmente muito engraçado, um grande panorama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.