30 de mai de 2011

Deseje, acima de tudo, posses


Este ensinamento parece muito perigoso.
Deseje, acima de tudo, posses.
A própria palavra posse produzirá uma perturbação em sua mente, pois todos os grandes mestres ensinam: não deseje posses.
Buda, por exemplo, diz: “Seja não-possessivo”; Mahavir diz: “Nenhuma posse”; Jesus diz: Abandone todas as riquezas, todas as posses”.
E este sutra, este ensinamento diz: deseje, acima de tudo, posses.
Mas ele é belo. Ele quer dizer a mesma coisa que estes grandes mestres.
Ele diz que todas aquelas coisas que você considera posses não são posses, porque você não pode possuí-las realmente.
Você pensa que pode possuir as coisas... Pensa que pode possuir os outros...
Você pode apenas se iludir pensando que possui alguma coisa.
Na verdade, você não pode possuir nada, pois a morte destruirá tudo.
Ninguém possui coisa alguma. Somente uma coisa pode ser possuída: o seu próprio eu. Nada mais pode ser possuído.
Você só pode ser o senhor do seu próprio eu.
Se tentar ser o senhor de qualquer outra coisa, será apenas um escravo – tentando proteger, esconder, cercar de qualquer possibilidade de alguém o tomar... Ficará louco e estressado.
Olhe para as suas posses, Você as possui?
Se sua casa for destruída, você chorará, gritará, ficará furioso; mas se você morrer, sua casa não ficará furiosa.
Assim, quem era o verdadeiro proprietário?
A casa possui você. Ela não está nem um pouco preocupada se você mora nela ou não. Assim quem é o possuidor?
Assim seja um senhor – o senhor do seu próprio eu – e não faça nenhum esforço para possuir coisa alguma.
Você não deve abandonar todas as coisas. Essa não é a questão. Use todas as coisas, mas não pense em termos de posse.
Use a casa, mas não seja o proprietário. Use a riqueza, mas não seja o dono dela.
Você é apenas um viajante de passagem.
Quando cansado, você descansa sob uma árvore, mas você não possui a árvore. E se você não a possuir, sentirá uma profunda gratidão porque ela lhe deu abrigo.
Mas não procure possuir a árvore, pois assim, você não se sentirá agradecido.
Quando você possui, não sente gratidão.
Não possua sua esposa, não possua seu marido.
Quando estiver cansado, sua esposa lhe dará amor. Sinta-se grato.
E se você não possuir sua esposa, não será possuído por ela.
O relacionamento só acontece quando não há posse.
Se há posse, há sempre conflito.
Maridos e esposas estão sempre brigando, você não encontrará inimigos mais profundamente envolvidos.
Eles são inimigos íntimos. Todo relacionamento fica envenenado porque o marido tenta possuir a esposa e a esposa tenta possuir o marido, mas ninguém pode possuir ninguém; a posse é impossível.
Você pode apenas possuir a si mesmo; somente isso é possível, tudo o mais é impossível.
Mas quando se tenta possuir e fazer o impossível, tudo vai mal; o relacionamento fica envenenado e a vida torna-se uma miséria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.