4 de fev de 2014

O êxtase é a grande revoluçãlo


Osho diz: O êxtase é a grande revolução

Então perceba:
A sociedade não pode permitir o êxtase. O êxtase é a maior revolução. Eu repito: o êxtase é a maior revolução. Se as pessoas ficarem em êxtase, toda a sociedade terá de mudar – porque a sociedade está baseada na miséria.
Se as pessoas forem felizes, será impossível leva-las à guerra – alguém que é feliz apenas rirá e dirá: Que absurdo!
Se as pessoas forem felizes, você não poderá torná-las obcecadas por dinheiro. Elas não desperdiçarão suas vidas acumulando dinheiro. Isto parecerá a elas uma loucura, trocar suas vidas por dinheiro morto, ficar morrendo e acumulando dinheiro, sendo que o dinheiro ainda existirá quando elas estiverem mortas. Isto é uma loucura total! Mas esta loucura não pode ser vista, a menos que você esteja em êxtase.
Se as pessoas estiverem em êxtase, todo o padrão da sociedade terá de mudar. Esta sociedade vive na miséria. A miséria é o maior investimento desta sociedade. Assim, nós criamos as crianças – desde o nascimento, criamos um aprendizado através da miséria. Eis porque elas escolhem a miséria.
Mas perceba: pela manhã, todo mundo pode escolher. E não apenas ao amanhecer; na verdade, a todo momento há uma escolha entre ser miserável ou ser feliz. Mas você sempre escolhe ser miserável porque há um investimento nisso, você sempre escolhe ser miserável porque isto tornou-se um hábito, um padrão. Você sempre agiu assim, tornou-se eficiente nisso. Essa é a sua trilha. No momento em que sua mente tem de escolher, imediatamente flui em direção à miséria.
A sociedade fez uma grande obra. A educação, a cultura, os agentes culturais, os pais, os professores – fizeram uma grande obra. Transformaram criadores extasiados em criaturas miseráveis.
Toda criança nasce em êxtase. Toda criança é um deus ao nascer. E todo homem morre como um louco.
E a menos que você descubra, a menos que você recupere a sua infância não será capaz de tornar-se como as nuvens brancas sobre as quais estou falando continuamente.
Este é todo o seu trabalho, o sadhana – recobrar a sua infância, recuperá-la. Se você puderem se tornar crianças novamente então... Não haverá nenhuma miséria.
Olhe uma criança – uma criança não mimada, eu quero dizer. Se ela estiver com raiva, toda a sua energia se transformará em raiva. Não há nenhuma mente. A criança tornou-se a raiva – ela não está com raiva, transformou-se na raiva.
E então veja a beleza, o florescimento da raiva. A criança nunca fica feia – mesmo na raiva é bela. Fica apenas mais intensa, mais vital, mais viva. Uma criança tão pequena, uma energia tão grande.
E após a raiva, a criança fica silenciosa. Após a raiva, a criança fica em paz. Após a raiva, a criança relaxa.
Podemos pensar que é uma miséria estar com raiva, mas a criança não fica miserável.
Se você se tornar inteiro em alguma coisa, ficará feliz. Se separar a si mesmo de qualquer coisa, mesmo da felicidade, tornar-se-á miserável.
Portanto, essa é a chave: fique dividido com o ego e esta será a base de toda a miséria. Fique inteiro, fluindo com tudo o que a vida traz, fique nisso intensamente, totalmente, de modo a não ser mais, a se perder... E tudo será felicidade.
A escolha existe, mas você se tornou inconsciente dela. Escolheu o errado tão continuamente, fez disso um hábito tão morto, que escolhe automaticamente. Nenhuma escoha lhe resta.
Torne-se alerta. Em todos os momentos em que estiver escolhendo ser miserável lembre-se: a escolha é sua. Essa conscientização o auxiliará - essa percepção de que a escolha é minha, de que eu sou responsável, e de que isto é o que estou escolhendo para mim mesmo, de que sou eu que estou fazendo isto.
Imediatamente você sentirá a diferença. A qualidade da mente será mudada. Será mais fácil caminhar para a felicidade.
E uma vez que você sabe que a escolha é sua, a coisa toda se torna um jogo. Então, se você ama ser miserável, seja miserável. Mas lembre-se: a escolha é sua. E não reclame. Não existe ninguém que seja responsável por isso. Esse drama é seu. Se você gosta desse caminho, se gosta de estar num caminho miserável, se quer passar pela vida na miséria, essa escolha é sua, o jogo é seu – você o está jogando. Jogue-o bem!
Mas então não vá perguntar as pessoas como não ser miserável. Isto é absurdo. Não vá perguntar aos Mestres e gurus como ser feliz. As pessoas chamadas de gurus existem porque vocês são tolos. Vocês criam a miséria, e depois vão perguntar aos outros como livrar-se dela. E continuam criando miséria, porque não estão conscientes do que estão fazendo.

A partir deste momento tentem, experimentem ser felizes e alegres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.