11 de mar de 2013

A necessidade de vencer I



Quando um arqueiro atira por diversão
Ele está de posse de toda a sua habilidade.
Se atira para ganhar uma fivela de bronze
Já fica nervoso.
Se atira por um prêmio em ouro
Fica cego
Ou vê dois alvos –
Ele fica louco!

Sua habilidade não mudou. Mas o Prêmio
Deixa-o dividido. Ele se preocupa.
Pensa mais em ganhar do que em atirar –
E a necessidade de vencer exaure suas forças.

Perceba... Se a mente está cheia de desejos, você não pode ver com clareza. Se o coração está cheio de desejos, você não pode sentir direito. Desejos, sonhos, esperanças – o futuro perturba você e, seja qual for, ele está no presente.
Quando você está dividido, o desejo leva você para o futuro, e a vida é aqui e agora. A realidade é aqui e agora, e o desejo leva você para o futuro. Então você não está mais aqui. Você vê, mas ainda assim não vê; você ouve, mas ainda assim não ouve; você sente, mas o sentimento é vago, não pode ser profundo. É assim que a verdade se perde.
Seus olhos estão cheios de sonhos, seu coração está cheio de desejos. Você avança para o futuro, mas o futuro é uma ilusão. Ou você volta para o passado, e o passado já está morto.
O passado não existe mais e o futuro ainda vai acontecer. Entre esses dois está o momento presente. Este momento é muito breve, tão breve quanto possível. Este momento passa num piscar de olhos. Se o desejo entra em cena, você perdeu o momento; se existe um sonho, você está perdendo o momento.
A religião como um todo não consiste em levar você a algum lugar, mas em trazê-lo de volta para o aqui e agora. Mas a cabeça já foi embora, para muito longe. Essa cabeça tem que ser trazida de volta.
A situação é essa. Embriagado de desejos, cambaleando, você bate à sua porta e pergunta onde é sua casa. Você está na verdade perguntando quem você é.. Esse é o seu lar, você nunca o deixou, é impossível deixá-lo. Não é algo fora de você que vai sair e ir embora. É o seu interior, o seu próprio ser.
Tao, Zen, Yoga, sufismo, estes são, todos, métodos para trazer você de volta, para torná-lo sóbrio de novo, para destruir a sua embriaguez. E por que você está tão bêbado? Por que os seus olhos estão tão sonolentos? Por que você não está alerta? Qual é a causa de tudo isso? A causa é que você deseja.
Tente entender a natureza do desejo. O desejo é a maior droga que existe. A maconha não é nada, o LSD não é nada. O desejo é o maior de todos os LSDs – o suprassumo das drogas.
E Qual é a natureza do desejo? Quando você deseja, o que acontece? Quando você deseja, você cria uma ilusão na  mente; quando você deseja, já se afastou do aqui e agora. Agora você não está mais aqui; você está ausente, porque a mente está criando um sonho. Essa ausência é a sua embriaguez.
Perceba... Você cria um espaço – e o desejo é a maneira de criar esse espaço. Quanto maior for o desejo, maior é o espaço criado. Porque, se o desejo deve ser satisfeito em um ano, então você tem um espaço de um ano. Você pode se mover nele. Esse espaço criado pelo desejo você chama de tempo. Se não há desejo, não há necessidade de tempo.
Só um único instante existe – nem mesmo dois instantes, porque o segundo instante é necessário apenas para o desejo, não é necessário para a sua existência. A existência é completamente preenchida, totalmente, num só instante.
Se o homem desaparecer da face da terra haverá tempo? As árvores vão crescer, os rios vão fluir, as nuvens ainda flutuarão no céu. Haverá instantes, ou melhor, haverá um instante – e, quando um instante desaparece, outro passa a existir. Mas não existe tempo como tal. Apenas o instante atômico existe.
As árvores não desejam nada, elas não desejam florescer, as flores virão naturalmente. Faz parte da natureza da árvore florescer. Mas a árvore não está sonhando, não está pensando, desejando.
Se o homem não existir, não haverá tempo, apenas instantes eternos. Você cria o tempo com o desejo. Quanto maior o desejo, mais tempo é necessário.
Todo mundo está sempre com pressa, correndo muito. Ninguém se move lentamente, ninguém anda lentamente. Todo mundo está correndo e é preciso mais velocidade. Assim, o Ocidente continua inventando veículos mais rápidos e nunca ninguém está satisfeito. O Ocidente continua a prolongar a vida humana só para lhe dar um pouco mais de tempo para realizar seus desejos.
Mas por que o tempo é necessário? Você não pode estar aqui e agora sem tempo? Esse instante não é suficiente? Instante em que você está simplesmente deitado, sem passado, sem futuro? Um instante que está entre o passado e o futuro, que é atômico, que é realmente como se fosse não existencial. Ele é tão pequeno que você não pode agarrá-lo; se fizer isso, já será passado. Se você pensar, estará no futuro – ele não está presente.
Quando ele está presente, só uma coisa pode ser feita – você pode vivê-lo, isso é tudo.
Então jogue fora os desejos, retire toda a poeira dos olhos, mergulhe e fique à vontade dentro de si, sem desejar coisa alguma, nem mesmo a divindade. Todo desejo é igual, seja por um carro luxuoso, um deus, uma mansão, não faz diferença. Desejo é desejo. Não deseje – apenas seja! Nem mesmo olhe – apenas seja! Não pense! Deixe que este momento aconteça, e fique nele, e de repente você tem tudo – porque a vida está presente. De repente tudo começa a se derramar sobre você, e então esse momento torna-se eterno e não há mais tempo. É sempre o agora. Ele nunca termina, ele nunca começa. Mas você está nele, não é um estranho.
Você entrou no todo, reconheceu quem você é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.