11 de out de 2012

Esteja alerta quando a respiração pára


Meditação 04
Esteja alerta quando a respiração pára

A quarta técnica da respiração:
Quando o ar foi todo para fora (para cima) e parou por si mesmo, ou todo para dentro (para baixo) e parou – nesta pausa universal, o pequeno eu desaparece. Isso só é difícil para o impuro.

Mas então é difícil para qualquer um, porque ele diz: isso só é difícil para o impuro.
Mas você pode senti-lo algumas vezes, subitamente. Você está dirigindo um carro e, subitamente, você sente que vai haver um acidente. Nesse momento, a respiração pára.
Se ela está fora, permanecerá fora. Se ela está dentro, permanecerá dentro. Você não pode respirar em uma tamanha emergência; você não pode se dar a esse luxo. Tudo pára, se afasta.

Esse sutra diz: Quando o ar for todo para fora e parou por si mesmo, ou todo para dentro e parou por si mesmo – nesta pausa universal, o pequeno eu desaparece...

Perceba: seu pequeno eu é apenas uma utilidade diária. Nas emergências você não pode se lembrar dele. Quem é você, ou seja, seu nome, o saldo do banco, o prestígio, tudo – simplesmente evapora. Se você puder estar alerta em tal momento, você poderá alcançar a meta.
Qualquer coisa imprevista, inesperada, inacreditável, pode criar uma pausa. Mas para o puro não existe necessidade de tais coisas. Para o puro a pausa está sempre presente. Muitas vezes, para as mentes puras, a respiração pára.
Se sua mente é pura – e pura significa que você não está desejando, ansiando, procurando alguma coisa -, silenciosamente pura, inocentemente pura, você pode estar sentado e, subitamente, sua respiração pára.
Nesse caminho, o pequeno desaparece e você alcança o eu superior, o eu supremo.

Voltar para as técnicas do Vigyan Bhairav Tantra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.