29 de set de 2012

Observe o intervalo entre as duas respirações



Procure perceber que a mente é um mecanismo de desejo. A mente está sempre no desejo, sempre procurando alguma coisa, pedindo por algo.
E esse objeto do desejo está sempre no futuro, por isso, a mente não está, de forma nenhuma, interessada no presente.
A mente precisa do futuro para se mover. Ela pode se mover no passado ou no futuro. Ela não pode se mover no presente; não existe espaço.
Assim, não existe encontro entre a mente e a verdade – a verdade está sempre no presente.
Então, entenda a primeira coisa: você não pode procurar a verdade. Você pode descobri-la, mas você não pode procura-la. A própria procura é o obstáculo.
No momento em que você começa a procura, você se moveu para fora do presente, para fora de si mesmo.
Todas as nossas técnicas estão simplesmente conduzindo a mente do futuro, ou do passado, para o presente. Aquilo que você está procurando já está aqui.
A verdade já está aqui e agora – nesse exato momento! Não a procure e você a encontrará. Essas técnicas não são intelectuais. Experimente-as e a mente muda de direção. A mudança é apenas uma consequência.
De repente, você encontrará a si mesmo no presente. E quando a mente chega ao presente, ela pára, ela não existe mais. Você não pode ter uma mente no presente, isso é impossível.
Exatamente agora, se você está presente no momento presente, como pode ter uma mente? Os pensamentos cessam porque eles não podem se mover. O presente não tem espaço no qual se mover; você não pode pensar. Nesse estado você atinge a não mente.
Assim, a verdadeira questão é como estar aqui e agora. Você pode tentar, mas o esforço pode ser fútil – porque, se você faz do estar no presente um objetivo, então, esse objeto moveu-se para o futuro. E você sonhará: “Será que algum dia estarei num estado de mente onde não existe movimento, nem motivação, nem procura”?
Assim, vamos entender alguma coisa sobre a respiração: Nós estamos respirando continuamente, desde o nascimento até o momento da morte. Tudo muda entre esses dois pontos. Tudo muda, nada permanece o mesmo, somente a respiração é uma coisa constante entre o nascimento e a morte.
A respiração é um mecanismo da vida e a vida está profundamente relacionada com a respiração.
Constantemente a respiração está ligando você ao seu corpo, conectando-o, relacionando-o com o seu corpo. Não somente a respiração é uma ponte para o seu corpo, ela também é uma ponte entre você e o universo – o corpo é simplesmente o universo que veio para você, que está mais perto de você.
Respirar, consequentemente, torna-se muito significativo. Se você puder fazer alguma coisa com a respiração, você de repente, voltará para o presente. Se você puder fazer alguma coisa com a respiração, você alcançará a fonte de vida, poderá transcender tempo e espaço.
Então observe a sua respiração...
A respiração tem dois pontos. Um deles é quando ela toca o corpo e o universo; e o outro é quando ela toca você e aquilo que transcende o universo.
Nós conhecemos apenas uma parte da respiração – quando ela se move para dentro do universo, ou seja, para dentro do corpo. Esse ponto nós conhecemos.
Mas ela está se movendo do corpo para o não corpo, do não corpo para o corpo. Nós não conhecemos esse outro ponto. E se você se torna consciente do outro ponto, da outra parte da ponte, de repente, você será transformado,  transplantado para dentro de uma nova dimensão.
Existem certos pontos, mas nós não estamos conscientes deles. Nós nascemos respirando e nós morremos respirando – mas nós não estamos conscientes de certos pontos.
O homem já foi a lua, mas ainda não descobriu as partes mais próximas de sua vida.
Existem certos pontos em sua respiração e esses pontos são as portas – as portas mais próximas de você, pela quais você pode entrar em um mundo diferente, em um ser diferente, em uma consciência diferente. Mas elas são muito sutis.
Então, nesse momento, volte a observar a respiração: Depois que a respiração entrar e exatamente antes de voltar pra fora – o benefício.
Esteja alerta entre esses dois pontos.
Quando sua respiração entrar, observe. Por um simples momento, não existe respiração - antes de ela voltar para fora.
Observe o intervalo entre as duas respirações
Perceba: uma respiração entra; então, existe um certo ponto e a respiração pára. Então a respiração sai. Quando a respiração sai, então, novamente por um simples momento, a respiração para.
Mas lembre-se: você não está treinando a respiração. Deixe a respiração exatamente como ela é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.