29 de ago de 2012

Em busca do significado II



Viver tem algum significado, algum objetivo, alguma importância? Há alguma meta a ser alcançada com a vida, com o viver? Há algum lugar que você atingirá um dia pelo fato de viver?
Então, procure entender: viver é um meio. A meta, a realização, em algum ponto distante, é o fim. E esse fim tornará o viver significativo.
Sua mente está sempre perguntando “por quê?” ou “para quê?” E qualquer coisa que não responda à pergunta “para quê?”, pouco a pouco, perde o valor para você.
Perceba... É assim que o amor perde o valor. Qual o sentido do amor? Onde ele vai conduzi-lo? O que será atingido com ele?
É claro que visto dessa maneira, o amor não tem sentimento – ele é inútil.
Qual o sentido da beleza? Você vê um por do sol – você fica deslumbrado, é tão lindo, mas qualquer idiota pode perguntar: “Qual é o sentido disso?” E você não terá nenhuma resposta a lhe dar.
Uma bela flor, um belo quadro, uma bela música, uma bela poesia – eles não têm nenhum sentido.
Mas entende que viver consiste apenas nessas coisas que não tem nenhuma razão, que não têm absolutamente nenhum significado – no sentido que não tem nenhum objetivo, de que eles não o conduzem a lugar nenhum, de que você não vai obter nada delas.
Em outras palavras, viver é importante em si. Os meios e os fins estão juntos, não separados.
Mas o homem tem sido criado por todas as tradições de maneira esquizofrênica. Você nunca pensou que a divisão entre os fins e os meios é uma estratégia para dividir e escravizar o homem.
Eles dizem que os meios – ganhar dinheiro, conquistar o poder, ter prestígio, ser religioso – é importante, porque tem um sentido – você alcançará um fim – você será rico, alcançará o paraíso, etc...
E a poesia, a música, a dança, o amor, a amizade, a beleza, a verdade, tudo desapareceu da sua vida. Essa é uma estratégia simples, mas destruiu tudo o que o torna significativo.
Aqui e agora você não tem nenhum significado na sua vida. Aqui você é apenas um meio, uma escada. Se você subir a escada, talvez algum dia encontre a sua vida, o seu Deus, o seu objetivo, o seu significado, seja qual for o nome que você lhe dê.
Mas eu digo que você é o significado, e o viver, em si, é algo intrinsicamente completo. A vida não precisa que mais nada lhe seja acrescentada..
Tudo que a vida precisa é que você a viva em sua totalidade.
Se você viver parcialmente, então não vai sentir a emoção de estar vivo.
E esta é a situação: todo mundo está vivendo parcialmente. Assim, você faz barulho, mas não consegue criar uma canção. Você move suas mãos e suas pernas, mas nenhuma dança acontece.
Viver em si é o sentido. Não há outro sentido.
Então, decida por seguir o caminho para o qual todo o seu ser está fluindo, para onde o vento está soprando. Percorra esse caminho até onde ele o conduzir, e nunca espere encontrar nada.
Quando você entender que viver cada momento é a verdadeira religião, então vai entender porque eu digo para deixar de lado essa ideia de céu e inferno, e todo esse entulho. Deixe tudo isso de lado, porque essa carga de tantos conceitos o está impedindo de viver momento a momento.
A chama está continuamente se transformando em fumaça, e a nova chama está surgindo.
A todo momento seu ser está mudando e, se você ficar totalmente envolvido em alguma coisa, perceberá a mudança acontecendo dentro de você – a cada momento um novo ser, e um novo mundo, uma nova experiência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.