8 de jun de 2012

Meninos crescidinhos não choram e meninas boazinhas não gritam



Osho fala sobre a coragem e a sabedoria do coração, em oposição às qualidades da mente

Observe a sua mente... Agora leve sua atenção ao centro do peito...
O modo de o coração se expressar é belo, mas perigoso. O modo de a mente se expressar é comum, mas seguro.
O homem escolheu o caminho mais curto e seguro para viver. A mulher escolheu o caminho mais bonito, porém mais perigoso das emoções, dos sentimentos, dos estados de espírito.
E como até hoje o mundo foi regido pelos homens, as mulheres sofrem imensamente. A mulher não está conseguindo se adaptar à sociedade que os homens criaram, porque a sociedade é criada de acordo com a razão e a lógica.
A mulher quer um mundo do coração, e na sociedade criada pelo homem não há espaço para o coração.
Os homens têm que aprender a ouvir mais o coração, porque a razão tem levado a humanidade inteira rumo a um suicídio global. A razão destruiu a harmonia da natureza, destruiu a ecologia.
A razão criou máquinas belíssimas, mas destruiu a beleza da humanidade. É necessário um pouco mais de coração em tudo.
Tente compreender que o caminho para o nosso ser mais profundo está mais próximo do coração do que da mente. A mente é um atalho caso você queira ir pra fora, e o coração um atalho caso você queira ir pra dentro.
É por isso que sou a favor do amor, porque a partir dele é mais fácil levar você para a meditação, levar você para a eternidade da sua vida, levar você para a divindade; isso fica muito difícil a partir da cabeça.
Partindo do coração a mulher pode imediatamente seguir em frente... E o homem pode avançar rumo ao coração sem nenhuma dificuldade.
O problema é que o homem foi treinado da maneira errada; é só um condicionamento. Disseram-lhe para ser duro, para ser forte, para ser masculino, e tudo isso é uma grande bobagem. Nenhum homem chora nem deixa que a tristeza ou a alegria sejam expressas por meio de lágrimas, porque desde a infância lhe dizem que chorar é coisa de mulher, é coisa de maricas. Os homens nunca choram.
Mas para que servem as lágrimas? Elas são necessárias! É uma linguagem extremamente importante. Há momentos em que você não consegue dizer nada, mas as suas lágrimas podem expressar o que sente.
Elas são sempre um símbolo de uma experiência transbordante.
Essa é uma das razões por que as mulheres perdem menos a cabeça do que os homens; porque elas não hesitam em chorar, soluçar e atirar coisas a qualquer momento.
O homem vai acumulando, acumulando e um dia explode – tudo de uma vez! As mulheres enlouquecem aos pouquinhos – e esse jeito é mais sábio, extravasar todos os dias . Para que acumular?
É preciso ensinar os homens a pensarem mais com o coração, porque o caminho para o ser passa pelo coração.
A mulher está em melhor situação; ela pode ir do coração diretamente para o ser.
Nenhuma lógica pode ser superior ao amor, e nenhuma mente pode ser superior ao coração. Mas a mente pode ser extremamente violenta, pode ser assassina, e é isso que a mente tem feito há séculos.
Os homens batem nas mulheres, reprimem as mulheres, condenam as mulheres. E em resultado os homens estão deixando de elevar a própria consciência.
Sim, as mulheres têm mais amor... Mas elas também tinham que ter tomado consciência do outro lado da moeda. A porção masculina da mente tem lógica e a porção feminina da mente é ilógica; não é perigosa, só está se equivocando, e pode ser corrigida.
É por isso que o caminho do coração é belo, mas perigoso. O outro lado do amor é o ódio; o outro lado do amor é o ciúme. Por isso, se uma mulher se deixa levar pelo ódio e pelo ciúme, toda a beleza do amor se perde e ela fica apenas com veneno nas mãos. Ela envenenará a si mesma e a todos que estão à sua volta.
Todo pico do amor está muito próximo do vale sombrio do ódio; esse vale circunda todo o pico e pode-se cair nele com muita facilidade.
A pessoa que quer realmente aprender a arte do amor tem de se lembrar de todas essas coisas, e impedir o amor de resvalar para o ódio, para o ciúme. Do contrário, será impossível chegar ao ser...
A mulher tem de deixar de lado o ciúme, tem de deixar de lado o ódio. O homem tem de abrir mão da lógica e ser um pouquinho mais amoroso. Pode-se usar a lógica; ela é útil. No trabalho científico, ela é útil, mas não nos relacionamentos amorosos.
E ambos têm de mergulhar mais fundo no amor. Quanto mais fundo mergulharem, mais perto chegarão do ser.
O ser não está distante. Ele é a parte mais profunda do amor, um amor que é absolutamente puro, incondicional. Um amor que é absolutamente alerta, consciente, imediatamente se transforma numa imensa revolução; ele as portas do mais recôndito santuário do ser.
E atingir o próprio ser é obter da vida tudo o que ela pode dar – toda a fragrância, toda a beleza, toda a alegria, todas as bênçãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.