30 de mai de 2012

O vazio é seu ser



Perceba que mente significa palavras, o ser significa silêncio...
A mente não é nada além de palavras que você acumulou. O silêncio é aquilo que sempre esteve com você.
Este é o sentido do ser. Em segundo plano, por trás do silêncio, você vai acumulando palavras e o conjunto de palavras é conhecido como mente.
Cada palavra é um precipício: a partir delas é possível mergulhar no vale do silêncio.
Este é o sentido dos mantras: mergulhar no silêncio a partir das palavras.
Um mantra significa repetir e repetir e repetir uma única palavra inúmeras vezes.
Em algum momento você se cansa dessa palavra, pois não há nada de novo nela. Esse cansaço ajuda você a se livrar da palavra, de forma que possa mergulhar no silêncio mais facilmente.
O silêncio está sempre lá, escondido no canto.
Usar um mantra para criar esse cansaço é ótimo, pois não haverá outra saída senão mergulhar no silêncio.
Perceba... Quando as palavras mudam, e em geral elas mudam, você não se cansa. Uma nova palavra, uma nova idéia, um novo sonho ou desejo, tudo isso é sempre atraente.
Mas se você percebe que sua mente está repetindo sempre a mesma coisa, ou você dorme ou mergulha no silêncio – essas são as duas únicas possibilidades.
O mantra está ali para criar um estado de cansaço de forma que você possa mergulhar no abismo. Se você cair no sono, terá perdido o abismo.
A primeira coisa a ser lembrada sobre a mente, portanto, é que há um falatório constante. É esse ruído que mantém a mente viva. Então livre-se das garras da mente, livre-se do falatório constante.
Você poderá fazer isso à força, mas nesse caso terá errado o alvo de novo. Você pode se obrigar a não falar dentro de si mesmo, assim como pode se obrigar a manter silêncio em relação aos outros, mas isso será um silêncio forçado – haverá uma apatia em sua face, e não inteligência.
A mente não foi transcendida, ela foi apenas esvaziada. Nesse estado você não se moveu para um silêncio cheio de vida, apenas forçou a mente e a controlou – está apenas reprimindo sua energia.

Então, o que fazer?
Mantenha um olhar penetrante dentro de sua mente – busque as motivações.
Quando você fizer qualquer coisa, procure imediatamente a motivação porque, se perder a motivação, a mente irá continuar a enganá-lo e dizer que alguma outra coisa era sua motivação.
Procure e encontre as motivações reais. Uma vez que você seja capaz de encontrar suas reais motivações, a meditação estará muito próxima, porque, então, a mente não mais terá controle sobre você.
Tente fazer algo novo a cada dia, e a mente terá menos controle sobre você. Mesmo que sejam pequenas mudanças em sua forma de andar, na forma de falar.
A cada momento você se renova, renasce, a consciência nunca envelhece.
Você viveu de acordo com alguns padrões até agora. Você não deseja mudar?
A mente é seu passado tentando constantemente controlar seu presente e seu futuro. É o passado morto, que permanece controlando o presente vivo. Fique alerta quanto a isso.
Você não está aqui para ser algo mecânico, isso não é digno. Nem para tornar-se cada vez mais eficiente, e sim para tornar-se cada vez mais vivo, mais inteligente, cada vez mais feliz, até o êxtase da felicidade. Mas esses caminhos são totalmente diferentes dos caminhos da mente.
Perceba... As pessoas estão sempre procurando caminhos para controlar as outras, caminhos que possam dar mais lucro. Se for isto que você procura, estará sempre sob o controle da mente.
Esqueça essa idéia de controlar outras pessoas. Uma vez que você tenha deixado de lado a idéia de controlar os outros – seja marido ou mulher, filho ou pai, amigo ou inimigo -, a mente não poderá controlar você porque ela terá se tornado inútil.
A mente só é útil para controlar... Controlar o mundo, controlar a sociedade. Uma pessoa assim, controladora, é incapaz de meditar, pois ela está no outro extremo.
Essas pessoas são tensas demais, tem mentes ambiciosas, e pessoas com mentes ambiciosas não podem meditar, porque a própria base da meditação é não ser ambicioso. Ambição significa o esforço para controlar os outros.
Então, procure estar atento o tempo todo. Você precisa estar atento... A mente vive em uma espécie de transe, uma espécie de estado de inconsciência.
Fique parado na calçada e olhe para as pessoas, você verá sombras de sonhos em suas faces. Há pessoas falando sozinhas, ou gesticulando – olhe para uma dessas pessoas e você verá que ela está em algum outro lugar, e não na rua. É como se as pessoas se movessem em sono profundo.
Se você quer tornar-se um meditador, é preciso deixar de lado esse hábito de fazer as coisas adormecido. Ande, mas esteja alerta. Cave um buraco, mas esteja alerta. Coma, mas ao comer não faça nada além disso: apenas coma. Esteja alerta a cada mordida, mastigue com consciência.
Não se permita vagar a esmo pelo mundo: esteja presente aqui e agora.
Você perceberá que sua mente está sempre fazendo alguma outra coisa, indo para outro lugar, pois nunca quer estar aqui.
Isso porque se ela estiver aqui não será mais necessária. No presente apenas a consciência é necessária, mas não a mente. A mente só é necessária em algum lugar do futuro, do passado, mas nunca aqui.
Quando você sentir que a mente foi para outro lugar, quando você estiver em uma cidade e sua mente estiver do outro lado do mundo, fique alerta imediatamente e volte pra casa, volte para o lugar onde você se encontra.

4 comentários:

  1. Excelente os dois artigos de hoje, aproveitei muito, obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Olá Jeorane.
    O livro é Aprendendo a silenciar a mente.
    Boa leitura

    ResponderExcluir
  3. Osho, a máxima inteligência. Quem mais compreendeu o mundo e a vida?!!

    ResponderExcluir

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.