28 de jul de 2016

Meditação é sua natureza


Observe sua mente...
Em nossas vidas tudo o que fazemos é feito pela mente.

A primeira coisa a entender a respeito da mente é que há uma tagarelice constante. Quer você esteja falando ou não, ela continua a falar internamente. Quer você esteja acordado ou adormecido, a conversa interna continua, como uma espécie de ruído de fundo. Mesmo quando você trabalha, dirige ou caminha, a tagarelice interna continua.
A mente fala o tempo todo. Se esse falatório interno puder ser silenciado, mesmo que durante um único instante, você terá uma breve visão do estado de ausência da mente. Esse é o objetivo e a essência da meditação.
Como chegar, então, a um intervalo no qual a mente pare com a falação interna? Não é necessário nenhum esforço, pois, na verdade, este intervalo acontece o tempo todo, basta estar atento. Entre dois pensamentos há um intervalo. Até mesmo entre duas palavras há um intervalo.
Sua percepção de mundo precisa ser alterada. Geralmente você está atento as palavras e não aos intervalos.
A mente só pode ver uma coisa de cada vez. Portanto, quando você está prestando atenção nas palavras, não é possível ver o silêncio que vem depois de cada uma delas.
Mude o seu foco. Permaneça em silêncio... Deitado ou sentado... E comece a olhar nos intervalos. Sem esforço, sem estresse. De forma relaxada, fácil. Escorregue da borda das palavras para dentro dos intervalos, e permita que as palavras desapareçam aos poucos.

As palavras são as figuras, o silêncio é o fundo. Palavras vão e voltam, o silêncio permanece. Quando você nasceu, nasceu como silêncio – apenas intervalos e intervalos, espaços e espaços. Veio ao mundo com um vazio infinito. E então você começou a colecionar palavras.
A mente significa palavras, o ser significa silêncio. A mente não é nada além das palavras que você acumulou. O silêncio é aquilo que sempre esteve com você, não é um acúmulo. Este é o sentido do ser. É uma qualidade intrínseca. Em segundo plano, por trás do silêncio, você vai acumulando as palavras, e o conjunto das palavras é conhecido como mente.
Cada palavra é um precipício: a partir delas é possível mergulhar no vale do silêncio.

Então se livre das garras da mente, livre-se do falatório constante.
Nenhum pensamento da mente é original, são todos repetições. Observe atentamente. Sempre que a mente disser algo, veja como ela está tentando leva-lo de volta a uma rotina. Se você vive uma vida repetitiva, é porque sua mente tem controle demais sobre você. Não preste atenção às velhas rotinas...
Faça algo novo, mesmo que sejam pequenas mudanças na forma como você tem vivido, mesmo que sejam mudanças na sua forma de andar, na forma de falar.
Mude, e você estará se tornando um pouco mais livre.
A cada momento você se renova, renasce, a consciência nunca envelhece.
Perceba que você tem vivido de acordo com certos padrões até agora. Você não deseja mudar? Você não deseja obter algumas novas visões sobre o seu Ser? Então fique alerta e não ouça a mente.
A mente é seu passado tentando constantemente controlar seu presente e seu futuro. É o passado morto, que permanece controlando o presente vivo. Fique alerta quanto a isso.

As pessoas estão sempre procurando caminhos para controlar as outras, caminhos que possam lhes dar mais lucros. Se é isto que você procura, estará sempre sob o controle da mente. Esqueça essa ideia de controlar outras pessoas. Uma vez que você tenha deixado de lado a ideia de controlar os outros – seja marido ou mulher, filho ou pai, amigo ou inimigo -, a mente não poderá controlar você porque ela terá se tornado inútil.

A mente é útil para controlar o mundo. É útil para controlar a sociedade
A mente vive em uma espécie de transe, uma espécie de estado de inconsciência. Você só está consciente muito raramente: quando sua vida corre perigo, por exemplo. Fora isso, a mente prossegue em seu movimento, adormecida. Fique parado na calçada e olhe para as pessoas, você verá sombra de sonhos em sua face. Há pessoas falando sozinhas, ou gesticulando – olhe para uma dessas pessoas e você verá que ela está em algum outro lugar, e não na rua. É como se as pessoas se movessem num sono profundo.

Sonambulismo é o estado geral da mente.
Se você quer tornar-se um meditador, é preciso deixar de lado esse hábito de fazer as coisas adormecido. Ande, mas esteja alerta. Coma, mas ao comer não faça nada, além disso: apenas coma. Esteja alerta a cada mordida, mastigue com consciência – esteja sempre presente no aqui e agora.

Você perceberá que sua mente está sempre fazendo alguma outra coisa, indo para outro lugar, pois nunca quer estar aqui. Isso porque se a mente estiver aqui, ela não será mais necessária. No presente apenas a consciência é necessária, mas não a mente.


A mente só é necessária em algum lugar do passado ou do futuro, mas nunca aqui. Quando você sentir que a mente foi para outro lugar, quando você estiver em uma cidade e sua mente do outro lado do mundo, fique alerta imediatamente. Volte para casa. Volte para o lugar onde você se encontra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.