4 de abr de 2011

O que é meditação?


Segundo Osho, a meditação é, em sua essência, a arte de se manter alerta a tudo o que acontece dentro e fora de você.
Embora a meditação em si não seja uma técnica, muitos métodos desenvolvidos por Osho e apresentados neste blog ajudam a desenvolver a percepção. Depois de adquirir essa capacidade, a meditação pode se tornar a sua companheira onde quer que você esteja - no trabalho, em situações comuns da vida diária, em qualquer lugar.
As pressões da vida moderna são muito grandes: o mundo nunca foi tão instável para se viver e as pessoas nunca estiveram tão tensas.
As técnicas desenvolvidas neste blog são perfeitamente adequadas às pessoas e à mentalidade contemporânea.
Se você é uma pessoa muito dinâmica - para quem, por exemplo, apenas "ficar sentado" parece impossível -, experimente as Meditações Ativas (acesse Meditações Ativas no Menu), a Meditação Dinâmica ou a Meditação Kundalini.
Quem sabe não seja por causa de suas emoções guardadas que lhe pareça tão difícil ficar sentado em silêncio? Talvez você se sinta cansado demais para se manter acordado quando está sentado. Talvez queira apenas se mexer um pouco. As Meditações Ativas são perfeitas também nesses casos.
A capacidade de permanecer relaxado em meio à agitação diária é o que chamamos de "atenção sem esforço", que é a sensação fundamental da meditação.
A meditação se baseia em um conhecimento simples: em vez de lutar contra a escuridão - o que será impossível -, acenda a luz.
Em vez de lutar contra nós mesmos, tentando viver segundo aquilo que outros imaginam que deveríamos ser, podemos começar aceitando o que somos agora. Osho sempre lembra às pessoas que, se a existência as convidou a estar aqui, elas não precisam da permissão de ninguém para se aceitarem como são.

Testemunhar - o espírito da meditação

Quando você não está fazendo absolutamente nada, física ou mentalmente, quando toda a atividade cessa e você está presente, apenas existindo, chamamos isso de meditação.
Sempre que encontrar um tempo para apenas ser, largue tudo o que estiver fazendo. Pensar, concentrar-se ou contemplar também são fazer algo. Se por um único momento, você não fizer nada e estiver voltado para dentro de si mesmo, completamente relaxado, isso é meditação. Depois de aprendê-lo, será possível permanecer nesse estado pelo tempo desejado ou até ficar assim durante 24h por dia.

Basta um único passo para a direção ou a dimensão certa. Podemos nos concentrar no exterior ou fechar os olhos para ele e deixar que toda a nossa consciência se centre no interior. Você saberá quando isso acontecer porque você é a percepção. Ela nunca foi perdida, mas estava emaranhada com mil e uma coisas. Remova a sua percepção de todos os lugares e, aos poucos, deixe-a descansar dentro de você - então terá chegado em casa.


Os quatro passos em direção ao Despertar

Primeiro passo
Procure permanecer muito atento ao seu corpo. Pouco a pouco você ficará mais atento a cada movimento. À medida que você se torna mais e mais perceptivo, o seu corpo fica mais relaxado e harmonizado. Uma paz profunda começa a envolvê-lo e o seu corpo passa a pulsar com uma música sutil.

Segundo passo
Comece, então, a ficar atento aos seus pensamentos. Eles são mais sutis que o corpo e também mais perigosos. A própria observação muda tudo. Pouco a pouco, a loucura desaparece e os pensamentos começam a recair num determinado padrão. O caos que produziam deixa de existir e eles entram em harmonia, como um universo. Novamente, uma paz profunda prevalece. Quando o seu corpo e a sua mente estiverem em paz, verá que também estão em harmonia, afinados um com o outro. Já não estão mais seguindo em direções diferentes: pela primeira vez existe uma harmonia que o ajuda imensamente a dar o próximo passo.

Terceiro passo
Passe, então, a perceber os sentimentos, emoções e humores.]Quando puder perceber estes tres aspectos, eles se fundirão em um único fenômeno. E quando todos os tres forem apenas um - quando funcionarem em conjunto, perfeitamente -, será possível sentir a sua música, eles serão uma orquestra.

Quarto passo
Não é possível fazer nada em relação ao quarto passo. Ele acontece por conta própria, é uma dádiva do todo, a recompensa para quem deu os tres passos anteriores.
O quarto passo é uma suprema percepção que produz o despertar. Você passa a perceber sua própria percepção. É isso que cria um buda, alguém que despertou. Somente nesse despertar é possível conhecer a felicidade. O corpo conhece o prazer, a mente conhece a felicidade, o coração conhece a alegria, o quarto passo produz o êxtase. O êxtase é a meta d etodos os sannyas, daqueles que buscam, e a percepção é o caminho para ele.

O mais importante é estar constantemente observando, não esquecer de que está observando... observando... observando. Pouco a pouco, conforme o observador vai se firmando, tornando-se mais estável, mais firme, uma transformação acontece. As coisas que ela estava observando desaparecem.
Pela primeira vez, o próprio observador torna-se aquele que é observado.
Você chegou finalmente em casa.

Se você desejar se aprofundar nesse tema adquira o livro Meditação: a primeira e última liberdade.


 

2 comentários:

  1. Por favor se poder me responder a seguinte questão:
    Quando estarei pronto para o segundo passo ? E já no segundo passo devo estar consciente do corpo e da mente simultaneamente ? é era só isso obr

    ResponderExcluir
  2. Quando a mente deixar de existir e só existir a testemunha. Quando você não tiver mais perguntas ou respostas. A mente lógica quer entender, mas para se alcançar o estado meditativo, a mente tem que ser deixada de lado. E você saberá quando isso acontecer, só você.
    As técnicas podem ser úteis, mas não são exatamente uma meditação, são apenas um tatear no escuro. Um dia, de repente, fazendo alguma coisa, você se torna a testemunha. Praticando uma meditação (qualquer), chegará um dia em que a meditação continua, mas você não se identificará mais. Estará sentado em silêncio lá atrás, observando.
    Meditação significa tornar-se a testemunha. A meditação não é uma técnica! Isso pode confundi-lo um pouco, porque existe uma série de técnicas. Ainda assim, no sentido mais profundo, a meditação é uma compreensão, uma percepção. E você poderia atingi-la agora mesmo, mas não atinge por causa de sua mente.
    No princípio parecerá que você está se esforçando, já que a mente não consegue fazer nada sem esforço. Contudo, o esforço eventualmente desaparecerá e tudo se tornará espontâneo, como o ato de respirar.
    Boa prática

    ResponderExcluir

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.