26 de out de 2010

A porta vazia está escancarada IIII


O mestre Zen diz:
“Singularmente (extraordinariamente) radiante é a maravilhosa luz. Livre da fronteira da matéria e dos sentidos”.

Se você se torna consciente, (se você desperta do sono da ilusão) você imediatamente sabe que você não é o corpo, nem a mente – você é pura consciência em si, e essa pura consciência em si mesmo é a maravilhosa luz. Essa é a luz da qual Buda falou: “Seja uma luz em si mesmo”.
A luz não está confinada em nenhuma palavra. Ela está além de todas as escrituras, além de todas as expressões, além de todas as definições.

“A Essência, desnudamente, fica exposta na sua pura eternidade”.

Mas se você tem sensibilidade pra ver, se você tem inteligência, ela está disponível em toda a sua nudez, em toda a sua eterna pureza, na sua absoluta, essencial beleza, ela está disponível. A todo momento está disponível: É simplesmente por causa da nossa estupidez, da nossa mediocridade; é simplesmente por causa da mente, que ela permanece escondida. Ela não está escondida – a sua consciência é que está anuviada, e por isso você não consegue ver.

“Nunca maculada (nunca manchada) é a natureza-Mente”...

E lembre-se: seja o que for que você faça, seja o que for que você tenha feito, você não pode macular (manchar) seu âmago mais íntimo. Seu centro permanece intocado pela superfície, sua consciência permanece intocada pelo seu caráter. O ciclone não pode tocar o centro. Você é o centro do ciclone.

“A luz existe em perfeição desde o começo”...

Preste atenção a essas palavras: A luz existe em perfeição desde o começo. Isso significa que você não tem que atingir a perfeição. Esta é a descoberta Zen: que você não tem que atingir (que alcançar) a luz – ela já está aí. Você é perfeito desde o começo.

“Apenas por arremessar fora suas ilusões o Estado Búdico (Estado Desperto) é realizado”

Perceba... Tudo que é preciso é apenas desfazer-se de suas ilusões.
E imediatamente você percebe que você foi o buda, desde o começo. Você sempre foi o Buda (um Ser Desperto) e ninguém mais. Você foi um Deus desde o começo. A divindade é sua natureza intrínseca, não é nada a ser conseguido. E é impossível maculá-la... (manchá-la...). Nenhum carma pode maculá-la (manchá-la).
Assim, seja o que for que você tenha feito você o fez somente em sonhos. Quando você acorda, quer você tenha sonhado que foi um pecador ou um santo, não interessa. Quando você acorda (quando há o despertar da consciência), ambos os sonhos acabaram – você nem liga. Você não se sente culpado, se foi um pecador nos seus sonhos e você não se sente mais santo, só porque foi um santo nos seus sonhos. Sonhos são sonhos, ilusões. A pessoa acordada (desperta) está livre de todos os seus sonhos. E nessa condição, o Estado Búdico é realizado.
Perceba... Vocês já são Budas (já são seres despertos) nesse exato momento!

Este é o rugir do leão: Vocês já são Budas, neste exato momento! Nada tem de ser alcançado, nada tem de ser mudado. Acorde! Tudo o que é preciso é inteligência, tudo o que é necessário é compreender o ponto, a capacidade de estar disponível neste momento.

Onde você está?
Você está aí?
Você é capaz de estar presente momento a momento¿ Ou fica perambulando entre o passado e o futuro? Pensando no que podia ter feito, no que aconteceu, nos amores perdidos... Pensando em quem se foi...
Ou de repente está sonhando com um carro novo... Em possuir riquezas... Sonhando que quando tiver um bom emprego, uma casa grande e puder viajar pelo mundo todo ao lado de uma linda mulher ou homem maravilhoso, você será imensamente feliz...

Toda a miséria está em sua imaginação. Quando esta miséria imaginária é abandonada, não sobra nada além de bem-aventurança, graça e êxtase.

Por alguns instantes, simplesmente esteja disponível ao momento presente... E observe a sua respiração... Sem palavras, sem sonhos, sem mente...
A mente é o resultado do seu contato com a sociedade, com seus pais, com os educadores, com os sacerdotes...
Se você compreende essa verdade, que você não é nem o corpo e nem a mente, você passa a perceber que você é pura consciência.

E nesse estado, todos os êxtases são seus.

Prática de Meditação

Perceba que você já é iluminado – Você já é um Buda.
Nada tem de ser alcançado, nada tem de ser mudado.
Então, desperte!
Tudo o que é preciso é inteligência, tudo que é necessário é compreender o ponto.
Deixe para trás, por alguns minutos, a ilusão do seu nome, da sua posição social, a ilusão do corpo, da mente...
E penetre o silêncio.
Em profundo silêncio encontre a si mesmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.