27 de out de 2010

Despertar II


Procure perceber que toda a nossa idéia de vida está baseada na sobrevivência do mais ajustado, e o mais ajustado significa o mais forte.
Nossas crianças são educadas desde cedo com um espírito competitivo – ciúme, inveja...
Nós as fazemos lutar, brigar...
Assim, sejam quais forem os meios, ninguém se importa com os meios.
Você tem que atingir certo fim, você tem de provar seu valor.
Você tem de mostrar ao mundo que não é uma pessoa comum.
E a mente comum é total bem-aventurança, é um estado de beatitude, de profunda paz...
É por essa idéia de ter que provar que não somos seres comuns, e sim extraordinários, que o mundo está perdendo a alegria, a bem-aventurança, a graça divina – porque estamos levando todos à loucura.
Todo o nosso sistema educacional cria uma espécie de neurose, e quem quer que esteja a frente dessa neurose fica muito famoso.
Observe... As pessoas que se tornaram presidentes, as pessoas mundialmente famosas, gente poderosa... Se você olhar nas suas vidas, não encontrará nada mais que ansiedade, angústia, loucura.
Elas estão fervendo por dentro, de algum modo mantendo apenas uma máscara.
Esta competição é o grande álcool que está afetando a consciência humana.
Nós não podemos ver corretamente, porque estamos num estado de embriaguez.
E toda nossa vida está de cabeça para baixo, não há nenhuma surpresa nisso.
O próprio esforço para se tornar extraordinário é o esforço para se tornar insano.
Mas todos os Mestres que conheceram a Verdade afirmam que apenas ser comum é o bastante.
Ser absolutamente comum, viver uma vida comum, comer quando se sente fome, beber quando se tem sede, dormir quando se sente sono, ser jovem quando se é jovem, ser velho quando se é velho.
Mas as Verdades simples não atraem as pessoas neuróticas.
O que todos nós precisamos é nos tornarmos mais sensíveis e com menos ego.
E então acontece uma transcendência.
Então, a vida se torna muito simples, descomplicada, mas tremendamente misteriosa.
Neste estado não sobra nada. Não há nenhuma pergunta nenhuma dúvida.
Há apenas espaço, vasta claridade e céu infinito.
A pessoa fica absolutamente vazia de todos os conteúdos, como o céu, sem fronteiras, aberto por todos os lados, infinito.
Será simplesmente um espelho refletindo nada...
E tudo é silêncio... Toda dualidade acabou...
Passa a existir apenas uma testemunha silenciosa.
E nesse estado experimentamos o despertar espiritual.


Prática de Meditação

Tudo que você precisa neste momento é um estado de silêncio...
Silencie a mente e o corpo...
Mas esteja alerta, consciente, seja uma testemunha...
A iluminação é a descoberta de algo esquecido.
É uma lembrança, um reconhecimento.
E pode acontecer aqui...
À medida que você for capaz de colocar sua mente lógica de lado mais e mais, a qualquer momento... Nunca se sabe, é imprevisível.
E algo pode transpirar...
E subitamente tudo é luz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.